sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

cozido















o verbo ferve
na nervura do músculo
que teso frija
à altura do ósculo

4 comentários:

otto M disse...

Eis um livro que vc deveria escrever: com estas poesias eróticas.

Larissa Marques disse...

;)
vou pensar nisso Otto!
beijo!

Stein Haeger disse...

Cozido almejado, é sempre o prato mais coubiçado nos intinerários de minhas viagens, quando os caminhos mais proibidos me atraem com violencia, e sempre busco com frequencia os desbravamentos insanos, que os mandamentos profanos, rezados em meus devaneios, me desprendem dos receios, das entranhas e dos gemidos, que fazem deste cozido, um prato apetitoso.... Encantado!
Vou te seguir.

Larissa Marques disse...

que bom, adoro seguidores!